Barra de vídeo(o video iniciará lá em cima da página)

Loading...

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Saia Justa


A Psicóloga Rosely Sayão tem se mostrado uma ótima entendedora de nossos problemas.
Ela dá conselhos maravilhosos.
A mãe de um menino(gay) descobriu que ele é gay. E agora quer mudá-lo por toda a lei.
Confira essa história. Preste atenção no que Rosely tem a dizer sobre esse assunto. Reflita:

Pergunta:"Oi Rosely; sou um garoto de 16 anos e há 3 semanas minha mãe descobriu que sou gay. Quando ela soube que na festa que eu ia tinha vários gays, ela me jogou contra a parede e quis saber por que meus amigos eram homossexuais e perguntou se eu já tinha tido alguma experiência assim. Eu não menti pois seria pior, e agora ela quer me transformar em heterossexual, se sente culpada por eu ser assim e não me deixa sair mais pra canto nenhum a não ser com amigos heteros e sabendo com quem estou. Sou altamente vigiado por ela e isso está ficando horrível, pois não quero deixar de sentir desejo por garotos mas nem que ela fique mais decepcionada ainda por eu não mudar. Eu queria muito saber se você acha que ela está agindo corretamente."

Resposta da Psicóloga:Menino, mas que saia justa é essa que você me coloca ao perguntar minha opinião a respeito das atitudes de sua mãe? Isso não se faz com uma psicóloga! :o)) Está certo que estou acostumada com saião por causa de meu nome, mas com saia justa não estou não!

Agora falando sério: você certamente não acha que sua mãe está agindo corretamente, não é verdade? Mas ela acha que sim. Seus amigos devem achar o mesmo que você, e caso sua mãe converse com algum outro adulto, ele provavelmente vai ter a mesma opinião que ela. Difícil, não é? Ser mãe não é fácil, assim como ser filho também não é...

Tarefa de mãe e de pai é essa: educar os filhos do jeito que eles acham que é o melhor. Acontece que nem sempre o que os pais acham que é o melhor para o filho, vai ser mesmo. Mas se a tarefa dos pais é essa, qual é a dos filhos, então? Achar o melhor jeito de viver a própria vida. E, às vezes, ela é diferente do que os pais querem ou gostariam que fosse.

E olha que isso é em relação a qualquer parte da vida: profissão, escola, amigos, diversão, roupas, por exemplo. Imagine você, então, quando o assunto tem sexo no meio. A coisa complica mais ainda!

Veja o seu caso, por exemplo. Você é gay, e sua mãe acha que você não deve ser. E agora? Um dos dois vai ter que mudar de idéia? Você já avisou que não quer - ou não pode - mudar. Por acaso sua mãe é obrigada a mudar? Ou vai virar um impasse entre vocês dois?

Aí é que entra uma saída pra você. Primeiro você tem que considerar que tem 16 anos e que isso significa que ainda está sob a responsabilidade de sua mãe, mas logo você vai ficar mais velho e ganhar autonomia de vida. Desde, é claro, que você seja responsável por você mesmo. Como hoje sua mãe é que é, ela se acha no direito de determinar o que você deve ou não fazer. Pode ser que você tenha que esperar um pouco, então, para viver do jeito que você quer, sem vigilância.

Segundo: vocês costumam confundir demais a sinceridade com outra situação, que é a de ter o direito de ter privacidade, segredos, etc. você não precisa dizer tudo para seus pais, principalmente aquilo que diz respeito apenas à sua própria vida, que é o caso da sexualidade. Mas esse direito supõe um dever: o de você assumir suas escolhas sozinho, de você arcar com as responsabilidades delas também. E isso não é simples não!

Talvez o melhor a fazer agora é dar um tempo para sua mãe. Sim, é preciso paciência e compreensão com os pais, e não apenas exigir isso deles. E aproveite esse tempo para pensar, refletir, amadurecer. Se você é mesmo gay, precisa saber que há muito preconceito social que você terá que enfrentar. E, antes de sair por aí sendo "sincero e verdadeiro" com todo mundo, é melhor aprender a construir sua privacidade e se preparar para enfrentar as reações contrárias ao seu jeito de ser. Como a de sua mãe, por exemplo.

Coragem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário